Connect with us
               

Manaus, AM,

SAÚDE

Doação de sangue ajuda no tratamento e recuperação de pacientes com câncer

Publicado

em

A doação de sangue é fundamental no tratamento do câncer e está presente durante a Radioterapia, Quimioterapia, Urgência e cirurgias, auxiliando na recuperação e/ou no tratamento do paciente. Na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), cerca de 800 bolsas de sangue são transfundidas ao mês pelo Serviço de Banco de Sangue.

As bolsas de sangue são repassadas, diariamente, pela Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) ao Banco de Sangue da Fundação Cecon. Elas são direcionadas aos pacientes internados, ambulatoriais, em tratamento cirúrgico, radioterápico e quimioterápico.

Cirurgias – A gerente de Enfermagem do Centro Cirúrgico, enfermeira Graça Maria Gondim Albuquerque, diz que o hospital realiza cerca de 100 cirurgias semanais, sendo um dos serviços que mais demandam bolsas de sangue. Ela ressalta ainda que todos os pacientes que passam pelo serviço necessitam de transfusão de sangue.

“Em média, cada paciente utiliza duas bolsas de sangue durante a cirurgia, mas pode sofrer alterações no decorrer do procedimento se tiver intercorrência, assim, demandando mais bolsas. O paciente oncológico tem um perfil diferenciado, muitos dão entrada pela Urgência com hemorragias, em outros casos necessitam de cirurgias complexas”, explica Gondim.

Fatores de coagulação – A enfermeira explica ainda que nos casos de pacientes que serão submetidos à cirurgia, com riscos de sangramentos graves, devido à falta de plaquetas ou de fatores de coagulação decorrentes do câncer, pode ser feita a transfusão de hemocomponentes – concentrado de plaquetas, plasma fresco congelado e crioprecipitado –, para reduzir essas possibilidades e minorar os riscos.

Produção sanguínea – O gerente do Banco de Sangue/FCecon, farmacêutico-bioquímico Kleber Brasil, explica que as bolsas de sangue suprem a carência do paciente oncológico, por deficiência de produção sanguínea e pelas perdas ocasionadas pelo tumor.

“O paciente com câncer, por exemplo, consegue produzir sangue, mas a velocidade com a qual a célula sanguínea é destruída é maior do que em uma pessoa que não tenha a doença. Tal situação pode evoluir, afetando a produção de hemácias, plaquetas e plasma”, explica.

Benefícios – Os hemocomponentes desempenham funções que ajudam na recuperação do paciente com câncer. O sangue fornecido pelo Hemoam chega fracionado em concentrados de hemácias – que tem função de restabelecer a capacidade de transporte de oxigênio; plaquetas – evitar sangramentos; plasma fresco congelado e o crioprecipitado – corrigir os fatores de coagulação sanguínea.

“Pacientes anêmicos, que perderam ou estão perdendo muito sangue e/ou em tratamento quimioterápico, apresentam uma queda substancial de hemácias no organismo. É o que chamamos de Nadir Quimioterápico, que ocorre por volta do 14º dia da quimioterapia. Por isso, após análise clínica e laboratorial, preventivamente, faz-se uma transfusão para que ele não sofra ou não tenha risco de morte nesse período”, explica Brasil.

Validade – Todo hemocomponente tem um prazo de validade para uso pelo paciente, sendo o tempo do concentrado de hemácias – 35 a 42 dias; plaquetas – 5 a 7 dias; plasma fresco congelado e crioprecipitado de um ano.

Doação de sangue – As doações de sangue são feitas diretamente ao Hemoam, de segunda a sábado, das 7h às 18h. Qualquer pessoa com boa saúde, com idade entre 18 a 69 anos e peso a partir de 50 quilos, pode doar sangue. O candidato deve estar bem alimentado e munido de documento de identidade. Jovens de 16 e 17 anos também podem doar, desde que acompanhados do representante legal.

A doação pode ser agendada pelo telefone 3655-0166 ou pelo 98431-9920 (WhatsApp).

Mais Lidas