Connect with us
               

Manaus, AM,

POLICIAL

Idosa é brutalmente assassinada por suspeita de disputa de terras no interior do Amazonas

Publicado

em

Manaus – Após ser encontrada amarrada e com sinais de agressão em sua casa, uma senhora de 64 anos identificada como Nazaré Pereira da Silva, morreu na manhã de domingo (24) no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio. A vítima vinha sofrendo ameaças depois de um desentendimento por terras na região. Ela foi encontrada com mãos e pernas amarradas e sinais de espancamento, na última sexta-feira, 24.

Segundo informações do delegado Renato Simões, titular da 47° Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Nova Olinda do Norte, foram os próprios familiares que acharam a idosa em casa, com rosto desfigurado devido às agressões, na comunidade Nova Canumã, zona rural do município, distante 135 quilômetros de Manaus em linha reta.

A maior parte das agressões foi na cabeça e rosto da idosa. Ela foi socorrida e levada inicialmente para a unidade hospitalar do município. No entanto, devido aos ferimentos, Nazaré precisou ser transferida para a capital.

Segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), a paciente foi removida pelo Serviço de UTI Aérea do Governo do Amazonas no final da tarde de sexta-feira (22). Ela deu entrada no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio com politraumas, onde ficou sob cuidados da equipe médica. A causa da morte não foi divulgada.

Não há informações sobre quem seria o autor da agressão contra a idosa e se ele agiu sozinho, tampouco a motivação  das agressões. No entanto, a família de Nazaré relatou à polícia que ela vinha recebendo ameaças por conta de disputas de terras.

De acordo com depoimento de um familiar da vítima, Nazaré já havia acionado a polícia do município informando que estava recebendo ameaças, porém, nada foi feito. A família ainda afirma que não está recebendo nenhum tipo de apoio da polícia do município.

Ainda segundo o parente da vítima, o principal mandante do crime é o próprio enteado, identificado como Vardely Brito Farias, que chegou a ser preso, mas foi solto nesta segunda-feira, 25. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil.

Com informações do portal EM Tempo

Mais Lidas