Connect with us
               

Manaus, AM,

Coronavírus

No Amazonas, Lacen tem capacidade de processamento de 2 mil testes de RT-PCR por dia

Publicado

em

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), tem capacidade para processar 2 mil amostras de exames de RT-PCR por dia. O exame, classificado como padrão ouro para detectar novas infecções pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), tem o resultado on-line para o paciente em até 48 horas.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) aumentou a oferta da testagem do RT-PCR e também do teste rápido de antígeno, tanto nas unidades de urgência e emergência, que são as portas de entrada do sistema de saúde, quanto na rede ambulatorial para rastreio da Covid-19.

O fortalecimento da vigilância em saúde é uma das principais estratégias da SES-AM, estabelecidas no plano de contingência para o enfrentamento da Covid-19 no Estado. A ampliação da testagem visa identificar precocemente infecções ativas, e iniciar as medidas para interromper e conter a disseminação do vírus.

“Houve um aumento da capacidade de processamento de exames RT-PCR, no Lacen, a partir do recebimento, da parte do Ministério da Saúde, de equipamentos de extração do RNA viral do novo coronavírus e, também, da plataforma de alta testagem e precisão Janus G3 workstation”, explicou a gerente de virologia do Lacen, Auxiliadora Novaes.

 

De acordo com a gerente, a plataforma possibilitou a automatização e o processamento das amostras coletadas nas unidades de saúde do Estado. Permitiu a redução do tempo de realização do RT-PCR, aumento da capacidade de processamento do teste no Lacen e a liberação do resultado em até 48 horas.

O resultado do teste de RT-PCR estará disponível para a população no site da FVS-AM, http://www.fvs.am.gov.br/, no link ‘Resultados Lacen/FVS’, mediante consulta pelo CPF.

Preparação – Desde o início de março, equipes do Lacen vêm capacitando profissionais nas unidades de saúde da rede estadual para a coleta e melhor encaminhamento dos exames.

O trabalho iniciou nas maternidades e nos Serviços e Unidades de Pronto Atendimento (SPAs e UPAs), nos hospitais das Fundações de Saúde, Hospitais e Prontos-Socorros adultos e infantis e alcançou, nesta semana, os serviços ambulatoriais das Policlínicas, dos Centros de Atenção Integral à Criança (Caic) e Centros de Atenção Integral ao Idoso (Caimis).

Nas Policlínicas e Caimis, a testagem será realizada em pacientes que estarão aguardando para realização de consultas e exames, durante a triagem que forem identificados com sintomas gripais.

“Esse aumento da capacidade de testagem significa o fortalecimento da estratégia de detecção do novo coronavírus pelo Lacen e, consequentemente, o fortalecimento da estratégia ativa de enfrentamento à pandemia, já que a confirmação de um caso de Covid-19 é importante para que o paciente seja isolado e busque tratamento imediato na assistência à saúde, para a identificação da doença”, finalizou a gerente.

Diagnóstico imediato – O Governo do Amazonas trabalha para ampliar a testagem no Amazonas com a aquisição de testes para detecção da Covid-19. A iniciativa de identificação precoce infectados pelo vírus tem apoio da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), que doou 122 mil testes rápidos de antígeno ao Amazonas.

Distinção – A técnica de coleta dos testes rápido de antígeno e do RT-PCR é a mesma: por swab nasal (cotonete). O RT-PCR detecta o RNA do vírus, permitindo o mapeamento genômico e a vigilância, enquanto o antígeno identifica a proteína do Sars-CoV-2 em menor tempo.

A coleta do RT-PCR deve ser feita entre o 1º e o 10º dia dos sintomas de Covid-19; e o antígeno obedece no período de sete dias, desde o início dos sinais de suspeita.

Balanço – Desde o início da pandemia, em março de 2020, 132.516 testes de RT-PCR foram processados no Lacen. Desses, 45.964 amostras apresentaram resultado detectável e as demais amostras, 86.552, não detectáveis para o Sars-CoV-2. Entre janeiro e março deste ano, 61.069 amostras foram analisadas no laboratório público de referência para detecção do novo coronavírus no Amazonas.

Mais Lidas