Connect with us
               

Manaus, AM,

BRASIL

Jovem é torturada e espancada por filho de político

Publicado

em

Cansada de ver a irmã ser vítima de violência doméstica pelo marido, filho do prefeito Muniz Ferreira, de Salinas das Margaridas, na Bahia, uma mulher denunciou o caso de tortura em uma publicação no Facebook, no último domingo, 13.

FELIZ DIA DAS MÃES! É desse jeito que exponho a minha dor no dia de hoje. CANSEI!!! Cansei de “considerar” os pedidos…

Publicado por Andressa Vieira em Domingo, 13 de maio de 2018

Segundo a acusação, a última vez que Filipe teria agredido Clara foi no último dia 8. Esse, entretanto, teria sido apenas mais um dos tantos episódios de agressão durante os três anos de relacionamento, incluindo namoro e matrimônio.

A uma rádio local, a vítima disse que teve o apartamento invadido pelo rapaz, que ao adentrar o recinto a teria xingado, desferido socos e chutes, além de cortar seus cabelos, dedos e morder diversa partes de seu corpo.

De acordo com uma matéria, com os áudios da entrevista concedido por Clara a rádio, ela diz que tinha colocado um ponto final no casamento há cerca de 15 dias.

“Eu tava estudando, fazendo um trabalho, quando Filipe chegou falando que eu tinha outro. Ele me bateu muito. Falava o tempo todo que ia me deixar careca e que nenhum homem ia me querer. Meu rosto ficou deformado. Não consigo me olhar no espelho”, disse, chorando.

Clara segue narrando o acontecido e diz que conseguiu fugir para o apartamento de uma vizinha, mas o ex-marido foi atrás e usou um spray de pimenta para agredir o sogro. O líquido ainda teria atingido o filho do casal, de apenas um ano.

“No decorrer do meu relacionamento eu já apanhei, já chorei e já perdoei Filipe diversas vezes. Ele sempre foi muito ciumento. Inclusive na Semana Santa me deu uma surra porque eu liguei a luz do quarto e ele acordou transtornado. Deu um tiro na parede. Me bateu muito e eu fiquei toda roxa”, contou.

Clara revelou que tinha medo de denunciar o marido e causar vergonha para a família. “Não queria ver minha família sofrendo. Sinto vergonha quando olho para meu pai e para meu filho. Não queria estar fazendo minha família passar por isso. Meu pai fez um casamento lindo para mm. Sempre ficava suportando as coisas para não dar desgosto a meu pai”, falou.

Por conta da violência, a estudante sofreu derrame em um dos olhos.

DENÚNCIA

O caso foi denunciado na 4º Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) de Santo Antônio de Jesus.

A jovem passou por exames no Departamento de Polícia Técnica (DPT). A 5º Promotoria de Justiça solicitou uma medida protetiva, determinando o afastamento de Filipe por 180 dias “do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida”.

Ainda, foi proibida a aproximação do acusado em relação à vítima, fixado o limite mínimo de cem metros de distância. A decisão proíbe também o contato de Filipe com o filho do casal, “devendo manter distância mínima de cem metros por 90 dias”.

Com informações do site Correio da Bahia

Mais Lidas